Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leituras

divulgação de livros; comentário de obras lidas; opiniões; literatura portuguesa; literatura estrangeira

Leituras

divulgação de livros; comentário de obras lidas; opiniões; literatura portuguesa; literatura estrangeira

 

Manuel Alegre, Tudo é e não é, D.Quixote, Abril de 2013, 195 páginas.

 

O sonho e a obsessão; a metáfora da desilusão, do sonho que não se realiza — são os temas recorrentes desta obra.

Uma visão do nosso tempo — da crise económica e política, da perda de identidade, da ditadura do capitalismo, numa escrita obsessiva, reflexiva, que é, ao mesmo tempo, uma reflexão sobre a literatura, sobre a relação entre a realidade e a ficção, sobre personagens que se confundem com pessoas reais num entrelaçar de tempos e de espaços. O escritor e a sua missão, perante a desilusão de um sonho que não se concretiza. 

A personagem central é o alter-ego do autor, um escritor que faz da palavra a sua arma, o idealista desiludido que está prestes a desistir de escrever porque já não tem o que contar.

Narrativa interessante pela forma como dá corpo a uma realidade, como relaciona o passado com o presente.


" — O teu livro está como o país e o mundo, ninguém sabe para onde vai, ninguém sabe o sentido.

— O sentido está na busca "