Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leituras

divulgação de livros; comentário de obras lidas; opiniões; literatura portuguesa; literatura estrangeira

Leituras

divulgação de livros; comentário de obras lidas; opiniões; literatura portuguesa; literatura estrangeira

Guilherme Centazzi, O Estudante de Coimbra, Planeta, Março de 2012, 317 páginas ( sendo 263 de texto,  20 de notas, mais posfácio de Maria de Fátima Mourinho)

 

Guilhereme Centazzi é um autor português do século XIX, um autor esquecido. O Estudante de Coimbra foi publicado em 1840-1841 e agora reeditado.

Com traços autobiográficos, pois Centazzi foi estudante de Coimbra, onde cursou medicina, é uma obra de ficção que foca a realidade contemporânea do autor. Numa linguagem directa, onde não falta o diálogo com o leitor, o narrador-personagem central narra-nos os tempos conturbados das lutas entre liberais e absolutistas, até à vitória do liberalismo (em 1834) e à sequência de governos de Portugal a partir daí.

O narrador dá-nos, com pormenor e realismo, os acontecimentos dessa época, as perseguições e torturas, as prisões e enforcamentos, as denúncias e deslealdades duma sociedade civil destroçada e confusa pelas lutas políticas. Ligando toda a trama, uma romântica e dramática história de amor cheia de encontros e desencontros.

Um romance de grande modernidade, não só pela linguagem utilizada, mas também pelo tipo de narrativa, onde um narrador de 3ª pessoa se confunde, por vezes, com o autor, introduzindo comentários e sentenças sobre a realidade narrada e dialogando com os leitores com os quais vai construindo a sua narrativa.

 

Uma leitura, a todos os títulos, interessante, educativa e enriquecedora.