Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Leituras

divulgação de livros; comentário de obras lidas; opiniões; literatura portuguesa; literatura estrangeira

Leituras

divulgação de livros; comentário de obras lidas; opiniões; literatura portuguesa; literatura estrangeira

Recordando autores esquecidos, autores que na sua época se destacaram e tiveram influência.

Ana de Castro Osório nasceu em Mangualde, em 18 de Junho de 1872 e faleceu em Setúbal no dia 23 de Março de 1935. Deixou uma vasta obra.

Distinguiu-se como jornalista, como pedagoga, como feminista e autora de livros especialmente dedicados à infância.

Foi a primeira em Portugal na luta pela igualdade de direitos entre homem e mulher, tendo escrito, em 1905, "Mulheres Portuguesas", o primeiro manifesto feminista em português.

Imagem de uma das suas obras, "Mundo Novo", publicada em 1930, são importantes, neste tempo de discussão sobre o Novo Acordo Ortográfico, para se tomar atenção à grafia portuguesa dessa época:

 

 

Veja-se a diferença, especialmente no domínio da acentuação:  há palavras esdrúxulas sem acentuação gráfica, há outros vocábulos acentuados que há muito perderam esse acento gráfico, acento agudo onde hoje há acento grave (à), há formas do verbo querer com z, etc. Um estudo interessante, para além de dar a conhecer uma autora esquecida.